Xingatório da Imprensa

sexta-feira, outubro 31

Horroroso
Do Dia de hoje: Freddy Krueger fala com exclusividade ao DIA sobre o confronto com Jason (...)
Xingado por Elpydio 10:30 da manhã

terça-feira, outubro 28

Tapeação matemática
Na falta de um gancho mais forte, O Globo resolveu fazer mágica com os números. Não bastava mostrar a importância de Valdir para o time do Vasco; era necessário colocá-lo acima de Edmundo. O resultado pode ser conferido em duas frases da matéria de hoje:

Valdir liderou time de garotos, que mostrou contra o Paraná que joga melhor sem Edmundo.

Os resultados do Vasco têm sido melhores sem Edmundo.


E tome número para provar a tese. Sem Edmundo: 22 jogos, seis vitórias, oito empates e oito derrotas. Com Edmundo: 17 jogos, cinco vitórias, cinco empates e sete derrotas.

Uma calculadora mostra o colossal tamanho da diferença. Sem Edmundo, o aproveitamento de pontos do Vasco é de 39,4%. Com, de 39,2%. Em vitórias, porém, o resultado é mais constrangedor: o Vasco vence mais com Edmundo (29,4%) do que sem (27,3%).
Xingado por Elpydio 10:38 da manhã

domingo, outubro 26

Profissão personagem
Cíntia Howlett aparece, em todo seu esplendor, na capa do Jornal da Família deste domingo. Ela é adepta da ioga. Desde que despontou como a musa discreta das praias cariocas, a modelo e apresentadora ilustra matérias de todos os tipos, explicando como é bom ser ativa, esportista, blasé, in, out, moderna... Seus 15 minutos de fama já expiraram, mas a imprensa não percebeu.
Xingado por Elpydio 12:22 da tarde

sábado, outubro 11

Petite finale
Ato 1: Ali Kamel publica um artigo no Globo defendendo a cobertura do comício da Praça da Sé, em 1984, pela TV Globo.

Ato 2: Mario Sergio Conti critica Ali Kamel por deturpar a realidade e não praticar bom jornalismo.

Ato 3: Ali Kamel escreve uma tréplica dissecando os fatos e devolvendo a crítica. No fim de sua extensa resposta, o diretor da TV Globo resolve definir bom jornalismo:

Bom jornalismo não se mede em minutos, em páginas, em centímetros. Mede-se pelo seu conteúdo de verdade. Pode ser apenas uma frase, um minuto, ou um caderno inteiro ou um telejornal inteiro. O que importa é a verdade.

A verdade é que, se Ali realmente acreditar nessa definição, ele não entende nada mesmo de jornalismo.
Xingado por Elpydio 2:19 da manhã

quinta-feira, outubro 2

O TSE e a invisibilidade
Quem ficou sabendo, pela leitura dos jornais de hoje, que a Câmara aprovou o fim do voto impresso para conferência nas urnas eletrônicas pode se considerar uma pessoa atenta. Muito atenta. As matérias, minúsculas, não condisseram com a importância do tema, nem com as próprias informações que trouxeram.

Na Folha: A aprovação foi fruto de um acordo entre a liderança do governo na Casa e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Apenas o PDT se posicionou contra, sob o argumento de que a mudança abrirá caminho para fraudes e não permitirá mais a conferência de votações consideradas suspeitas.

No JB: O deputado Chico Alencar (PT-RJ) discursou em plenário contra o projeto. Segundo ele, a informática não é infalível e, quanto mais sofisticada a tecnologia, mais sutil a fraude.

E no Globo: Mas deputados de diversos partidos disseram que o voto impresso era o único instrumento de fiscalização.

Então deputados de diversos partidos dizem que o voto impresso era o único instrumento de fiscalização e isso não rende mais do que uma tripa?
Xingado por Elpydio 11:57 da tarde

Powered by Blogger

 

Assis Gutenberg e Elpydio Phragoso mostram que a imprensa brasileira não evoluiu muito no último século.

E-mails educados para: assisgutenberg@bol.com.br
elpydiophragoso@yahoo.com

Arquivo Morto
current